Sonda Lambida

Dúvidas sobre manutenção
Regras do Fórum
Para saber como postar imagens entre aki: http://www.mx3zone.com/Forums/viewtopic ... 5872#p5872

Sonda Lambida

Mensagempor GilbertPink » Qui Dez 31, 2015 8:22 am

O sensor de Oxigênio, mais conhecido como Sonda Lambda, fica localizada no escapamento do veículo. Na grande maioria dos modelos, podemos verificar a existência de apenas uma após o catalisador, para realizar a leitura do gás oxigênio em sua proporção na amostra, e em outros modelos, há a existência de duas Sondas, uma antes e uma depois, assim, indiretamente mede a eficiência do catalisador e permite uma leitura mais correta dos gases emitidos pelo veículo e uma melhor correção da mistura ar-combustível pela UCE baseando e corrigindo-a próxima a Lambda = 1.

A sonda basicamente é constituída de um elemento cerâmico, ou como Titânia (TiO2) ou de Zircônia (ZrO2). A sonda de Zircônia realizando a leitura, envia um sinal para a UCE entre 0,1 volts VDC (indicando mistura pobre) ou 0,9 volts VDC (indicando mistura rica), e no caso das de titânia, ocorre o inverso.


Sinal do sensor de oxigênio em marcha - lenta com o motor aquecido
A sonda só começa a atuar quando a cerâmica atinge temperaturas superiores a 300ºC. Outra característica que identificamos em nossas oficinas é a de sondas com diferentes quantidades de fios condutores. Podemos exemplificar a característica destes abaixo:
• Sensor com um fio – Podemos chamá-la de sonda não aquecida EGO (Exhaust Gas Oygem Sensor). O aquecimento da cerâmica ocorre apenas pelo contato direto com o gás de escape, possui um único fio de sinal e o aterramento é direto na carcaça deste.
• Sensor com três fios – Podemos chamá-la de Sonda Aquecida HEGO (Heated Exhaust Gas Oxygen). Possui um fio de sinal à UCE e outros dois de aquecimento do resistor da sonda, e como na anterior, o aterramento também é direto na carcaça.

• Sensor com quatro fios – Também chamada sonda HEGO (Heated Exhaust Gas Oxygen) com um fio de saída de sinal, dois de aquecimento do resistor e um de aterramento.
Como testar a Sonda?

Para a realização do teste da Sonda Lambda, devemos nos atentar as condições da bateria e se há a correta a alimentação da UCE; verifique qual o tipo de sonda utilizada no veículo quanto ao seu aterramento.
Nos sensores de 3 e 4 fios, desligue a alimentação da sonda e em temperatura ambiente meça a resistência elétrica do aquecedor da sonda. Depois, reconecte a alimentação da Sonda e verifique a alimentação da Sonda e negativa do aquecedor.
Agora, com o sensor ligado e a chave de ignição virada, meça a tensão em volts VDC no fio de sinal do sensor. Esta tensão medida deverá estar entre 0,10 e 0,55 volts VDC.

Agora, com o veículo em marcha-lenta e aquecido (medição deverá ser realizada após a ventoinha ter desligado pela 2ª vez) e som a sonda devidamente instalada, meça o sinal enviado pela sonda. Este deverá emitir um sinal variando entre 0,1 volts VDC, indicando mistura pobre, e 0,9 indicando mistura rica.

Sinais que podem indicar falha da sonda.

Geralmente, podemos deduzir que se o sinal não estiver oscilando, provavelmente a sonda poderá estar apresentando falha. Substituímos a sonda e o problema não é solucionado. Podemos deduzir, além disso, que o sinal pode estar travado em uma mistura pobre, porque realmente a mistura está pobre e a UCE não está conseguindo corrigir essa falha.
Testes.
Abaixo, exemplificaremos o teste de uma sonda HEGO aplicado nos sistemas de injeção eletrônica Motronic MP 9.0 e IAW 1AVS que equipam os VW Gol/Parati 1.0 MI 8/16v.
Não podemos deixar de seguir a seqüência descrita abaixo para a correta análise da Sonda.
1º Teste
Conecte o analisador de polaridade na carcaça da sonda;
Verifique que deve haver polaridade negativa.

2º Teste: Verifique o aterramento da sonda!
1. Desconecte o conector de alimentação da sonda;
2. Conecte o analisador de polaridade no terminal do conector que vai ao pino 15 da UCE. Deverá existir polaridade negativa.

3º teste (teste da resistência de aquecimento)
Como o conector elétrico da sonda desconectado, selecione o multímetro em OHMs, meça a resistência entre os fios brancos da sonda.
A resistência deverá estar entre 3,0 e 9,0 OHMs em temperatura ambiente.

4º Teste de alimentação positiva do resistor da sonda.
Reconecte a sonda e dê partida no motor;
Meça a polarida no fio branco da sonda ligado ao fio preto e vermelho (positivo do aquecedor);
A polaridade medida deverá ser positiva.


5º Teste de alimentação negativa da resistência de aquecimento
Com a sonda ligada, meça a polaridade no outro fio branco (negativo do aquecedor) da sonda;
A polaridade medida deverá ser negativa.

6º Teste da voltagem de referência
Agora com o veículo desligado e com a sonda conectada, ligue a ignição sem dar partida no motor.
Meça a voltagem em VDC entre o fio preto da sonda e o fio que vai ao terminal 38 da UCE;
A voltagem medida deverá estar entre 0,35 e 0,55 volts VDC.

7º Teste de sinal de retorno
Dê partida no motor até que este aqueça e desligue a ventoinha pela segunda vez.
Meça a voltagem no fio preto da sonda (fio de sinal a UCE)
Com o motor frio a sonda envia uma voltagem fixa entre 0,35 e 0,55 volts VDC com pequenas variações. Já com o motor quente, essa voltagem geralmente deverá oscilar rapidamente entre 0,1 (mistura pobre) e 0,9 (mistura rica)
Acelerando-se o veículo, a voltagem deverá oscilar rapidamente (atente-se que o sinal pode não oscilar rapidamente, indicando ou falha da sonda, ou pela não correção da UCE da mistura) entre 0,7 e 1,0 volts VDC.

A voltagem está entre 0.350 e 0.550 volts?
Sim
Não
Circuito da sonda lambda OK.
O Valor Medido é...
Sempre menor que 0,450 volts
(mistura pobre)
Sempre maior que 0,450 volts
(mistura rica)
Verificar:
*Sinal dos sensores MAP, ACT, CTS e TPS.
*Pressão da linha de combustível menor que a tabelada (filtros obstruídos, bomba elétrica desgastada, regulador de pressão adulterado).
*Uma ou mais válvulas injetoras inoperantes ou entupidas.
*Entradas falsas de ar nos coletores de admissão e de escape ou escapamento.
*Combustível de má qualidade.
* Fazer limpeza no corpo de borboleta.
*Correia dentada fora do ponto.
Se tudo estiver OK e o defeito persistir, substitua a sonda lambda.
Verificar:
*Sinal dos sensores MAP, ACT, CTS e TPS.
*Filtro de ar obstruído
*Cabos de velas, velas de ignição.
*Pressão da linha de combustível maior que a tabelada (regulador de pressão adulterado ou retorno entupido).
*Motor (queimando óleo) ou válvulas presas.
*Correia dentada fora do ponto.
*Catalisador obstruído.
*Válvula(s) injetora(s) suja(s) ou gasta(s).
*Combustível de má qualidade.
* Fazer limpeza no corpo de borboleta.
Se tudo estiver OK e o defeito persistir, substitua a sonda lambda.

Dica!!!
Como avaliar se o defeito está na sonda quando o sinal não estiver variando.

1 – Quando o sinal estiver “travado” abaixo de 0,450 VDC indicando mistura pobre.
Provoque um enriquecimento repentino na mistura, injetando combustível em spray na admissão. Com isso, medindo o sinal da sonda, esta deverá ultrapassar os 0,5 VDC e voltar ao medido anteriormente. Caso isso ocorra, podemos afirmar que ela está funcionando corretamente e a falha poderá estar em outros componentes do sistema de alimentação do veículo, como, por exemplo, válvulas injetoras obstruídas, pressão da linha de combustível baixa, entradas de ar falsas no sistema. Casa não haja essa oscilação, a sonda está defeituosa.

2 - Quando o sinal estiver travado acima de 0,45 VDC indicando mistura rica.
Provoque um empobrecimento repentino na mistura, como por exemplo, causando uma entrada de ar falsa. Com esse empobrecimento, o sinal enviado deverá ser imediatamente menor que 0,45 VDC e voltar ao medido inicialmente. Havendo essa oscilação, podemos afirmar que a sonda está funcionando corretamente e o defeito pode estar ocorrendo por falha nas válvula injetoras gastas, pressão da linha de combustível elevada e etc. Casa não haja essa oscilação, o defeito é da sonda.

Podemos deduzir assim que uma sonda em boas condições é capaz de detectar muito rapidamente qualquer variação na mistura ar-combustível.


FONTE: http://www.oficinabrasil.com.br/
Editado pela última vez por GilbertPink em Ter Jan 05, 2016 2:30 pm, em um total de 1 vez.
Imagem
Avatar de usuário
GilbertPink
Amigo
Amigo
 
Mensagens: 269
Idade: 55
Registro: 29/01/2012
Localização: Porto Alegre
MX-3: 1.6 16v DOHC
Cor do MX-3: Branco - Chaste White - PT

Re: Sonda Lambida

Mensagempor Guga_skyw » Qui Dez 31, 2015 12:23 pm

Curti o texto, meu irmão.
de onde veio?

obrigado
[ Mx3 1.8 DOHC 24v - Brilliant Black PRECIDIA 1994 ]
[ Eclipse 2.0 Turbo Charged - Vermelho 1995 ]
[ Mx3 1.6 DOHC 16v - Noble Green 1996 ]
[Miura Targa AP 1.8 - Vermelho 1983 ]
Avatar de usuário
Guga_skyw
Amigo
Amigo
 
Mensagens: 46
Idade: 37
Registro: 26/04/2010
Localização: Paraná
MX-3: 1.8 V6 24v DOHC
Cor do MX-3: Preto - Brilliant Black - PZ

Re: Sonda Lambida

Mensagempor Dri » Ter Jan 05, 2016 8:08 am

Ótimo post.
Parabéns.
Abraço

DRI
Avatar de usuário
Dri
Membro
Membro
 
Mensagens: 59
Idade: 55
Registro: 05/08/2006
Localização: Pelotas/RS
MX-3: 1.6 16v DOHC
Cor do MX-3: Preto - Brilliant Black - PZ

Re: Sonda Lambida

Mensagempor JoaoCandido » Sex Jun 11, 2021 10:11 am

Pegando o gancho, gostaria de esquema de ligação do chicote na sonda.
Alguma foto?
A minha e de 3 fios
Avatar de usuário
JoaoCandido
Amigo
Amigo
 
Mensagens: 164
Idade: 46
Registro: 06/09/2008
Localização: - MG
MX-3: 1.6 16v DOHC
Cor do MX-3: Vermelho - Blaze Red - SQ


Retornar para Manutenção

Quem está online

Usuários vendo este fórum: Nenhum usuário registrado online e 1 visitante

cron